quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Integrada nas comemorações do 110º aniversário
e no 26º TROFÉU "Corrida das Colectividades do Concelho de Loures"

Vai a Cooperativa "A Sacavenense" levar a efeito o seu 10º circuito do Centenário, prova com grandes tradições e que espera contar com a presença de todos os atletas visitantes deste blog.
Esta prova é a primeira de um conjunto de provas a realizar neste concelho, que como é normal terá pontuação em cada prova de acordo com o regulamento geral. Para mais informações, contacto: 967490510 ou fgravito@gmail.com

Quando queremos, tudo é possível

video

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Hoje Sonhei

Hoje Sonhei
Aí estão as férias, mas infelizmente para muitos animais é a altura em que são abandonados.
Hoje vizinho quando fazia o meu treino encontrei o seu cão, e sabe, ele não foi adoptado ainda por ninguém, no local onde passei, a vizinhança na maioria já tem cães, e aqueles que não têm nenhum não querem animais.
Eu sei que o vizinho esperava que ele encontrasse um bom lugar quando o deixou, mas infelizmente ele não encontrou.
Quando o vi pele primeira vez, ele estava bem longe de casa numa zona descampada, sozinho, com sede, muito magro resultado da fome que tem passado, também coxeava um pouco, vítima de atropelamento recente.
Ao vê-lo assim, interrompi o treino, parei na sua frente, e naquele momento, desejei tanto ser o vizinho, para ver a sua cauda abanar de contente, e os seus olhos brilhar, ao pular para si, pois ele sentia que o vizinho o encontraria, sabia também que não se esqueceria dele, para ver a desculpa nos seus gestos, pelo sofrimento, e pela dor por que ele passou, na caminhada sem fim á sua procura.
Mas eu, não era o vizinho, e apesar das minhas tentativas de o convencer a aproximar-se de mim, o seu olhar via um estranho, não confiava em mim, o seu olhar provocou-me aquela dor que não dói, e não se aproximou, virou o rabo e seguiu o seu caminho pois tinha a certeza que se continuasse o iria encontrar.
Ele não percebe que o vizinho já não o quer, já não gosta mais dele porque cresceu demais, ele apenas sabe que você não está ali e por isso só pensa em encontrá-lo, o que, para ele, é mais importante do que a falta de comida, bebida, ou de um estranho que lhe possa dar tudo isso.
Percebi que seria inútil tentar trazê-lo ou segui-lo, eu nem sei o seu nome.
Fui para casa enchi uma garrafa de água e uma tupperware com comida e voltei ao lugar onde o havia deixado.
Não havia sinal dele, no entanto, deixei ficar tudo debaixo de uns arbustos onde ele estava abrigado do frio e da chuva e a recuperar da fadiga.
Agora veja bem, ele não é um cão selvagem, ao domestica-lo o vizinho tirou dele todo o instinto e capacidade de sobre-vivência nas ruas, ele só sabe, que precisa caminhar o dia todo, não sabe que o frio e a chuva podem custar-lhe a vida, só sabe que precisa encontrá-lo.
Fiquei á espera, na esperança que voltasse novamente á procura de abrigo no mesmo local, na expectativa de que a água e a comida que eu trouxe fize-se com que confiasse em mim, e assim, pudesse leva-lo para casa, cuidar da pata, e dar-lhe um local quente para se deitar, e ajuda-lo a perceber que agora você, já não faria mais parte da sua vida, isto é, teria que esquece-lo.
Mas ele não voltou e quando anoiteceu, a água e a comida, permaneciam no mesmo local, fiquei preocupado.
O vizinho deve saber que poucas pessoas tentariam ajudar o seu cão, alguns, até o correriam á pedrada, outros, ainda chamariam a carroça dos cães que lhe daria o destino do qual o senhor com a sua atitude pensou que estaria a salvar. Depois de vários dias cujo destino do treino foi voltar ao mesmo sitio sempre sem êxito, voltei já noite dentro e mais uma vez não o encontrei. Na manhã seguinte ainda lá fui, e vi que a água e a comida ainda resistiam! Pensei se o senhor estivesse aqui para chamar o seu nome, a sua voz é-lhe tão familiar, comecei a andar na direcção que ele tomou da última vez que o vi, sem muita esperança de o encontrar, ele estava tão desesperado para o encontrar que seria capaz de caminhar infinitamente.
Algumas horas mais tarde, a uma boa distância do local onde eu o havia visto pela primeira vez, finalmente encontrei-o.
A sede já não o incomodava, a sua fome havia desaparecido, e até as dores tinham passado, agora finalmente estava livre de todo o sofrimento.
O seu cão! meu amigo: Morreu!
Ajoelhei-me ao lado dele, como se fosse meu, e roguei-lhe a si todas as pragas que conhecia, por não estar ontem aqui, para que eu pudesse ver o brilho ainda que por breves momentos naqueles olhos vazios. Implorei pedindo que a sua caminhada o tenha levado àquele lugar que acho que você esperava que ele encontrasse, se o vizinho soubesse por quanta coisa ele passou para chegar lá, custou-me muito, pois sei que se ele acorda-se agora, e se eu fosse o senhor, os seus olhos brilhariam ao reconhecê-lo daria saltos de contente, lambedo-lhe a cara, abanaria a sua cauda, perdoando-o por todo o sofrimento que lhe causou ao abandona-lo.
Francisco...Francisco... acorda, são horas de ires trabalhar. O cão, o cão, o cão, qual cão? Estas a sonhar ou que? Uuufffff... estava cá a ter um sonho, ainda bem que acordei.




video

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

A Natureza das Cargas

Corta-mato de Éver, Bruxelas
Porque é importante programar a época


Aqui vai mais um concelho simples, como é programada a época, ou melhor as épocas, a alguns atletas isto é como se costuma dizer: não aquece nem arrefece, mas podem andar ao mesmo tempo a treinar alguém e convém como costumo dizer respeitar os princípios.
A natureza das cargas, definem-se em 2 tipos:
1) as cargas externas
2) as cargas internas
As cargas externas, são os exercícios físicos que fazem parte do treino, sejam gerais, específicos ou especiais, a sua utilização faz-se de 2 formas: VOLUME - INTENSIDADE
Volume: É o produto da relação carga/duração, depende do nº de séries, do treino intervalado ou treino fraccionado e da duração do exercício. É um dado quantitativo.
Intensidade: É a relação da frequência cardiaca alcançada. É um dado qualitativo.
As cargas Internas, são as reações do atleta às cargas externas que se taduzem em alterações fisiológicas, bioquímicas, morfologicas e em solicitações psíquicas e intelectuais.
LONGO PLANEAMENTO DE TREINO >>>>>>>>>>>> "Macrociclo"
Concidera a obtenção de uma forma atlética num determinadao tempo (competição principal)
onde as faculdades, quer fisicas ou psíquicas, cheguem a sua evolução máxima para a obtenção da melhor marca com duração de um ano, comprende os periodos de preparação, competição e transição, tendo como tarefa global a obtenção de uma nova forma desportiva.
MÉDIO PLANEAMENTO DE TREINO>>>>>>> "Periodização", hoje em dia por causa dos campeonatos de Inverno e Verão, é mais dupla - periodização.
Os periodos de preparação e de competição encarregam-se do desenvolvimento e da estabilização dos diferentes componentes que têm a responsabilidade da criação de nova forma atlética.
CURTO PLANEAMENTO>>>>>>>>>>> "Médio ciclos" Ocupam-se com o treino de tarefas divididas que possuem a responsabilidade do desenvolvimento de uma das componentes. Com duração de um mês e meio os períodos de preparação e competição devem englobar na sua totalidade três Médio ciclos cada qual com
caractiristicas diferentes, porém completando-se para atingir os objectivo proposto.
"MICRO CICLOS"
Ocupam-se com tarefas divididas. Os ciclos são uma subdivisão dos Médio ciclos e a sua duração conresponde a um período de tempo de 4 semanas, cada ciclo conterá uma tarefa diferente por uma determinada carga que prepara o organismo para uma carga mais elevada a qual se procederá no próximo ciclo.
Os ciclos permitem no seu ordenamento uma progressão das cargas, e são ainda subdivididos em micro ciclos.
TIPOS DE MICRO CICLOS:
Ciclo-norma
Ciclo-salto
Ciclo-pré-competição
Ciclo-competitivo
Ciclo-profiláctico
Assim temos; Ciclo-norma: Este micro ciclo é utilizado nos períodos de preparação geral (nos períodos de competição verifica-se pouco o seu emprego) dadas as suas características que possui, exemplo; 1ª semana de volume médio-intensidade fácil. 2ª semana volume máximo-intensidade média 3ª semana volume médio-intensidade sub-máxima 4ª semana descanso activo regeneração.
Ciclo-salto: Este micro ciclo é caracterizado por uma subida repentina, quer de volume quer de intensidade de treino. A sua realização encontra lugar nos períodos de preparação geral, após o emprego sucessivo de três micro ciclos-norma. Exemplo 1ª semana volume máximo- intensidade máxima 2ª semana descanso activo.
Ciclo-pré-competitivo: Estes micro ciclos tem uma duração de 2 a 3 semanas e utilizam-se nos períodos de competição. O volume de treino reduz-se, e a intensidade eleva-se a submáxima e máxima. É caracterizado ainda pelo trabalho das possibilidades de condição física-especifica e pela estabilização das qualidades motoras adquiridas até aqui. As competições nestas alturas servem apenas de preparação ás competições principais.
Ciclo-competitivo: Pusui uma duração de 1 a 2 semanas e tenta-se manter o nível da condição física adquirida e procura-se garantir a disposição do atleta para a competição, com a realização de todas as suas possibilidades competitivas.
Ciclo-profiláctico: Tem a duração de 1 semana e por finalidade a regeneração total isto após a realização de 4 a 6 micro ciclos.