domingo, 30 de maio de 2010

A Psicologia


Psicologia no Desporto


Como treinador de atletismo o meu trabalho é procurar o processo
de treino óptimo.

O processo de treino óptimo visa desenvolver as capacidades

do desempenho dos atletas para alcançar um nivel mais elevado

possível e na altura da competição deixar essa capacidades

atingirem os 100% do seu potencial. Mas...

-Porque têm alguns atletas a capacidade de fazer tudo bem e

apresentar-se ao seu melhor nível, quando necessário, enquanto

outros ficam aquém?

- Porque é que alguns atletas têm pior desempenho em finais

de competições principais do que em sessões de qualificação

ou eventos de menor importância?

- Porque é que alguns atletas são tão bons nos treinos e depois

vão contra todas as expectativas nas competições?

Estas questões mostram que o desempenho desportivo não

é apenas influenciado pelas condições físicas. Há mais qualquer coisa...

FORÇA MENTAL;

Esta provado que há grandes diferenças na área da psicologia.

Vou dar um exemplo simples. Um treinador até pode ter um atleta

com uma condição física invejável mas se tiver uma condição

mental muito fraca, estamos perante um Ferrari a ser conduzido

por um taxista.

Tive uma vez um atleta que no final de grandes treinos, tinha

sempre muitas ambições mas chegada a hora das competições

psicologicamente estava de rastos o que condicionava e de que

maneira a sua prestação desportiva.

De volta aos treinos e no final lá vinha a mesma ambição de sempre.

Um dia disse-lhe: " o teu problema é que entre ti e o sonho estas tu".

Bem sei que os atletas não são apenas máquinas.

Os metodos de treino tradicionais parecem, assim insuficientes e

desajustados. Começamos a aprender que somos seres humanos

vivos, e que há poderes psicológicos em nós que influência os

nossos desempenhos. No mundo de hoje estamos a aprender a

compreender cada vez melhor que é a nossa mente que comanda

o nosso corpo.

E quando o nosso cérebro dá uma ordem a maior parte das vezes

o corpo executa só que as vezes a ordem não vem e isso é que faz

a diferença nos atletas.

Assim começamos por compreender que o corpo e a mente trabalham

juntos e são partes de um todo. É que o desempenho atlético é o

resultado de poderes e processos internos.

É no entanto impossível analisar o desempenho do um atleta e
concluir que a sua performance foi o resultado da sua boa condição

física e boa técnica. Este modo de interpretar os resultados da
performance de um atleta não permitem a compreensão do

desempenho como um todo e tornamo-nos cegos relativamente

à fusão e coordenação de todos os processos válidos.

O trabalho de um atleta é o conjunto de ambas as forças física e

mental e, de facto, por vezes até as influências sociais têm o seu

papel. Podemos comparar o todo com a roda da nora. Metade

está dentro de água e a outra metade está fora mas só assim

é possível funcionar como um todo.

A psicologia pode ser definida como um comportamento Externo

e Interno de um ser humano. Os comportamentos externos

consistem em acções que podemos observar. Os comportamentos

internos são mais difícies de controlar e não os podemos observar

ou medir.