quinta-feira, 17 de junho de 2010

Diagnóstico


A evolução na distância

As disciplinas de 1/2 fundo foram desde sempre especiais, quer pela riqueza e complexidade dos meios de treino utilizados na sua preparação, quer pelas características excepcionais dos atletas.

O rendimento dos atletas qualquer que seja a sua disciplina, resulta sempre da interacção de vários factores, cada qual com a sua contribuição relativa. Apesar dos tempos das melhores perfomânces em 800 mts indicarem a excepcional importância da velocidade de base sobre distâncias mais (curtas), para se obter sucesso nesta disciplinas, continuo a constatar que a maioria desses atletas demonstram igualmente excelentes resultados na distância superior ou seja sobre 1500 mts ou até mesmo 5.000 / 10.000 mts.

(É exactamente esta questão que me leva a dar a minha opinião aqui neste blog em virtude de ter um atleta que fez a sua formação em 800 / 1500 mts e que se prepara agora para abordar distâncias mais longas, seguindo o exemplo de vários atletas que foram muito bem sucedidos e trás mais vantagens do que um percurso no sentido inverso, ou seja um estradista a fazer incursão em provas mais curtas).
Os 800 mts são uma disciplina que exige uma combinação de força, velocidade, resistência aeróbica / anaeróbica e táctica para que se consigam alcançar os resultados desejados.

O atleta para além de necessitar de uma forma física extraordinária, necessita de ter um sentido táctico muito desenvolvido. A forma como se correm actualmente estas distâncias em ambos os sexos com velocidades para a primeira volta a rondar os 49"4 - 52"7 nos homens e os 56"4 - 58"2 nas senhoras, faz com que se considere os 800 mts quase como uma prova de sprinte prolongado.

As exigências de corridas com ritmos tão elevados, fazem sobressair a ideia de que a velocidade predomina relativamente à resistência.
A exigência do controle do esforço (anaeróbico / aeróbico) no exito destas provas, impõe que o atleta domine a utilização de ambos os sistemas de energia.

Nesta distâncias (800/1500) é pois possível obterem o mesmo sucesso, atletas dotados de carecterísticas físicas muito diferentes e utilizando diversas metodologias de treino.

Se à algumas décadas atrás, para os atletas triunfarem era suficiente possuírem uma boa capacidade de resistência e baixos níveis de força e de velocidade base, a partir de determinada altura começaram a surgir na luta pelos primeiros lugares, atletas dotados com outro tipo de capacidades - mais rápidos e mais fortes. Os resultados obtidos por estes atletas, colocam ainda em evidência, o domínio cada vez maior de atletas oriundos de distâncias inferiores que após um período de especialização nos 800 ou 1500 mts e mantendo a participação em competições de 800/1500 conseguem obter excelentes resultados nas distâncias imediatamente superiores.

Actualmente, os melhores registos cronométricos e as vitórias nestas competições são evidentemente dos atletas mais completos, dotados de bons índices de força e de velocidade e simultâneamente preocupados em desenvolver a resistência de forma específica para a sua prova.

3 comentários:

  1. Envio-te um abraço amigo Gravito e os parabéns por mais um excelente têxto sobre a evolução e transição dos atletas para distâncias superiores.
    Era aquilo que eu precisava agora, mas eu não passei pelas camadas de formação, passei directo para a fase mais adiantada. Ainda assim aprendi o suficiente para ir mantendo o "vício", agora na vertente de longas distâncias.
    Um abraço, já com algumas saudades.

    ResponderEliminar
  2. Mais um tiro na mouche. Conforme se pode facilmente verificar pela historia, todos os grandes atletas fizeram essa evolução/ transição o que so vem provar que mesmo não se sendo um individuo rapido, é necessario esse trabalho pois so assim se fara a diferença entre um bom atleta e um atleta mediano. Saltar a formação (e aqui entendo por formação começar por distancias mais curtas) é dar um tiro no pé, pois alem de não se conseguir melhor tecnicamente a forma de correr, não se adquirem bases rapidas que irao ser muito importantes para se poder vencer em distancias superiores (estrada). Muita gente pensa que por não se ser rapido, não adianta trabalhar a velocidade saltando assim esta etapa e passando de imediato para as distancias superiores voltando anos depois e com o corpo ja moldado ao destino por eles traçado, atras para fazer aquilo que deviam de ter feito em 1º lugar. Na minha opiniao não terao sucesso e poderao ter passado ao lado de uma carreira pelo simples facto de não teresm feito a evolução / progressao normal.

    Armando Monteiro

    ResponderEliminar